Início do conteúdo

Estreia do violino de Flausino Valle será durante conferência nacional na UFPel

Leonardo Feichas com o violino de Flausino ValleEm silêncio desde 1954, o violino que pertenceu ao compositor Flausino Valle volta a soar. A estreia do instrumento – possivelmente uma réplica do violino alemão Steiner – que não foi mais usado desde a morte de Valle, ocorrerá na noite desta segunda-feira (29) na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O recital-conferência, apresentado pelo professor da Universidade Federal do Acre e estudioso do trabalho de Valle, Leonardo Vieira Feichas, será às 20h, no Auditório do Centro de Artes, aberto ao público.

A atividade é uma das atrações da 1ª Conferência Nacional Flausino Valle – Ensino Coletivo e Pedagogia de Cordas Friccionadas, que ocorre nos dias 29 e 30 de julho na UFPel. O encontro foi precedido do 3º Encontro de Cordas Flausino Valle, que ocorreu de 22 a 28 de julho.

Leonardo Feichas pesquisa Flausino Valle desde 2007. Primeiramente realizou iniciação científica na graduação sobre o compositor e sua obra, que depois foi ampliada para estudo no mestrado em Música, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Em 2017, ingressou no doutoramento em Artes Musicais na Universidade Nova de Lisboa (UNL), Portugal, abordando aspectos da construção da interpretação na obra de Flausino Valle e como os aspectos extra musicais se relacionam com aspectos musicais em sua obra. Em 2016, lançou o livro “Da Porteira da Fazenda ao Batuque Mineiro: o Violino Brasileiro de Flausino Valle”.

No fim de 2017, a família Valle cedeu a Feichas o arco e o violino que pertenceram ao compositor, reformados em 2018 e 2019, respectivamente.

O professor irá apresentar ao público no recital-conferência seis dos “26 Prelúdios Característicos e Concertantes para Violino Só”, obra mais renomada do compositor, ao mesmo tempo em que falará sobre as peças, sobre Valle e sobre os 13 anos de pesquisa.

O instrumento, de estrutura robusta e som doce, possui o nome do compositor levemente marcado na madeira. Como esteve parado por 65 anos, o violino ainda apresenta um som um pouco “fechado”, que tende a “abrir” quanto mais for tocado, explica Feichas. “Tenho tido uma motivação extra para fazer um belo esforço para me adaptar ao instrumento. A família de Flausino Valle também espera isso de mim. É uma honra”, disse.

Pedagogia e ensino coletivo
Palestrantes no eventoDe acordo com o pesquisador, os prelúdios tinham intenção didática. No Brasil, poucos repertórios brasileiros são usados com intuito pedagógico, o que vem ao encontro dos eventos realizados na UFPel.

Unindo performance e pedagogia, ambos os encontros têm a proposta de trazer aos estudantes um universo reflexivo para além do aspecto artístico-pedagógico. Outro diferencial do evento, explica Feichas, é a formatação do encontro a partir do local onde é realizado. Por exemplo, para o evento na UFPel a comissão organizadora propôs o tema do ensino coletivo, metodologia iniciante no Sul do Brasil. De acordo com o pesquisador, o ensino coletivo amplia o número de alunos e é mais estimulante na medida em que os participantes, por estarem juntos, percebem com mais clareza dificuldades e potencialidades. Além disso, populariza o aprendizado por ser mais barato – e, dessa forma, oportuniza a descoberta de mais talentos.

O encontro foi fundado pelo professor Feichas e pela professora Liu Man Ying (Universidade Federal do Ceará), responsável ainda pela coordenação executiva. A coordenação artística está a cargo do professor da UFPel Tiago Ribas.

Violino será apresentado novamente terça (30)
O violino de Flausino Valle volta ao palco na noite de terça-feira (30) para o concerto de finalização da Conferência Nacional. Além de Feichas, que apresentará mais seis dos 26 prelúdios (totalizando 12 apresentados), outros músicos também participam da atividade. O concerto é aberto ao público e está marcado para as 20h, no Auditório do Centro de Artes.

Quem foi Flausino Valle
Flausino Valle (1894-1954) foi uma importante personalidade musical da primeira metade do século XX. Foi professor do conservatório mineiro de música, compositor, violinista de orquestras e rádios, escritor, poeta e advogado. Como compositor o conjunto de Prelúdios para violino solo intitulado “26 Prelúdios Característicos e Concertantes para Violino Só”, sua obra mais conhecida, sendo que o Prelúdio XV – Ao Pé da Fogueira foi gravado pelo reconhecido violinista lituano Jascha Heiftz. Os Prelúdios são peças para violino só altamente virtuosísticas, com influência do folclore brasileiro e repleto de imitação de paisagens sonoras brasileiras, como a porteira da fazenda, pássaros, tambor e viola caipira. Devido às inúmeras técnicas empregadas e combinadas por Valle em seus Prelúdios, o renomado compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos, ao assistir Valle tocar o apelidou de “O Paganini Brasileiro”.

Publicado em 29/07/2019, em Destaque, Notícias. Marcado com as tags Centro de Artes, Comunidade, Música, Pesquisa, recital.