Início do conteúdo

Conversa com os Artistas da Mostra Sobras do Cotidiano II na Casa da Alice

Neste sábado, dia 7 de dezembro, acontecerá uma Conversa com os Artistas da exposição coletiva Sobras do Cotidiano II: Deslocar, Re(ver) e Transformar , a partir de 15h na Garagem Experimental(Casa de Alice), Rua Andrade Neves, 1092, entre Ruas Dom Pedro e Três de Maio no Centro de Pelotas.

A mostra expõe produções do projeto de pesquisa Sobras do Cotidiano e Contextos do Artista em Deslocamento e do projeto de extensão Contextos de Atuação do Artista, coordenados pela professora Alice Monsell, vinculados ao grupo de pesquisa DeslOCC: Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas (CNPq/UFPel). A exposição coletiva apresenta obras elaborados pelos colaboradores, professores e alunos do Bacharelado e Mestrado em Artes Visuais do Centro de Artes da UFPel e também mostra produções de jovens entre cinco e quinze anos do Instituto Hélio D’Angola do Quadrado, Porto, Pelotas-RS.

A pesquisa Sobras do Cotidiano busca, por meio do uso de materiais sustentáveis, questionar o uso e reaproveitamento de materiais na arte contemporânea, considerando que estamos numa nova era designada na área de Geologia de o Antropoceno, e notando a urgência de mudar os hábitos e os modos de produção e de utilização de materiais primas que exploram a natureza. O Antropoceno é o termo utilizado por geólogos para designar a nova época geológica, atualmente em debate, uma vez que há fortes indícios que as práticas humanas já transformam a superfície da terra mais do que os fenômenos naturais, e de forma ecológica- e socialmente desastrosa, notando, por exemplo, as recentes consequências da mineração no Brasil.

A exposição mostra produções artísticas de quatorze pesquisadores em arte que investigam, em adição à materialidade dos meios, outras questões variadas da arte contemporânea: o gênero, a paisagem, o consumismo e o meio ambiente. Na mostra, estão presentes propostas de arte postal, fotografia, pintura, gravura, objetos, colagens, bem como trabalhos de jovens produzidos nas oficinas do projeto de extensão Contextos de Atuação do Artista, realizadas no Instituto Hélio D’Angola do Quadrado, com o apoio de Aida Oliveira.

Na mostra, as obras revelam a potência dos materiais plásticos e imagens inesperadas. Num trabalho, a marca da ferrugem de um machado velho imprime numa folha de papel pardo. Noutro trabalho, percebe-se uma mola enferrujada, criada manualmente, que se estende de uma parede à outra, na qual se penduram pequenos objetos e folhas catados na rua durante caminhadas em Pelotas. Uma paisagem foi pintada sobre um suporte de envelope postal reutilizado. Noutra pintura, a cor não é ‘pintada’, mas ‘esticada’, pois, roupas de segunda mão de cores roxa e cinza foram esticadas sobre chassis. Embalagens velhas de iogurte e letras cortadas de um jornal formam colagens delicadas. Latas de refrigerante ou cerveja vazias são suportes para uma pintura-relevo gigante, bem como servem de matrizes para a gravura da imagem. Fotografias foram impressas em papel reciclado, considerado “sustentável”. Folhas de papel de cadernos velhos de uma aula de modelo vivo foram reutilizadas para construir uma ‘cortina’, que é uma colagem de papel disposta numa janela. Tocos velhos de árvore achados no quintal da casa são reaproveitados para apresentar imagens.

O destaque fica com duas produções que focam em questões do meio ambiente. Primeiro, o projeto de extensão Contextos de Atuação do Artista do CA/UFPel que desenvolve Oficinas de reaproveitamento artístico de materiais com crianças e jovens entre cinco e quinze anos no Instituto Hélio D’Angola no Quadrado, no bairro do Porto de Pelotas desde 2016. A mostra Sobras II apresenta as produções destes jovens que participam nas oficinas, e criam, com revistas, lápis de cor, giz de cera, cola, tesouras e todo tipo de embalagem, bonecas, barcos, colagens, máscaras, desenhos coletivos, recortes decorativos e fotomontagens.

O projeto de pesquisa em arte da Mara Nunes, mestranda do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFPel, investiga e visualiza as marcas de destruição ambiental no Balneário dos Prazeres, Laranjal, Pelotas-RS. Ela trabalha com fotografias do lixo no entorno do Balneário, também chamado Barro Duro, e registra os índices visuais de erosão e do descaso humano que marcam o meio ambiente, a praia, a mata e a Lagoa dos Patos. Também realiza ações-eco-artísticas em colaboração com crianças e famílias, moradores da comunidade do Balneário dos Prazeres. As fotografias e as oficinas fazem parte da produção poética de sua dissertação intitulada Comunidade do Balneário dos Prazeres: Caminhar, fotografar e Microações-eco-artísticas.

A exposição coletiva conta com a participação de 14 artistas, sendo estes professores e alunos dos cursos de Bacharelado e Mestrado em Artes Visuais do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel): Alice Monsell, Bella Kacelnikas, Diego Bötefür, Duda Gonçalves, Eduardo Toledo (Bolsista PIBIC/UFPel), Grazi CB, Gustavo de Campos, Helene Sacco, Mara Nunes, Raquel Betun (Bolsista PBIP-AF/UFPel), Rogger Bandeira, Thiago Ligabue, Vivian Parastchuk e William Alexsander (Bolsista PBIP-AF/UFPel).

Durante a semana, a visitação pode ser feita de segunda-feira à sexta-feira, em horários específicos: de segunda-feira à quarta-feira das 10h às 12h e das 17h às 19h; nas quintas-feiras e sextas-feiras o horário é estendido, das 10h às 12h e das 14h às 19h. O período de visitação da exposição se estende até o dia 19 de dezembro de 2019 e está aberta ao público em geral com entrada gratuita. A Garagem Experimental (Casa da Alice) fica na Rua Andrade Neves, 1092, Centro, Pelotas/RS, entre as Ruas Dom Pedro e Três de Maio, Centro, Pelotas-RS, Brasil.

Vista da mostra coletiva, da esquerda para a direita, no alto: pintura-relevo do bolsista PIBIC Eduardo Toledo; Corpos suspensos caminhantes no espaço e no tempo, Alice Monsell; em baixo: Módulo prático visual de rápida absorção conceitual do mestrando Thiago Ligabue e detalhe de Objetos Contidos do bolsista PBIP-AF UFPel William Alexsander do Bacharelado em Artes Visuais. Foto: Daniel Moura.

SERVIÇO

Local: Garagem Experimental (Casa da Alice).

Rua Andrade Neves 1092, entre Ruas Dom Pedro II e Três de Maio, Centro, Pelotas.

Horário: 15h

Data: Sábado, dia 7 de dezembro de 2019

 

Publicado em 06/12/2019, em Notícias. Marcado com as tags CEARTE.