Início do conteúdo

Professor da UFPel é empossado como membro titular da Academia Brasileira de Ciências

Na cerimônia de posse, professor OdirO professor do Núcleo de Biotecnologia do Centro de Desenvolvimento Tecnológico da Universidade Federal de Pelotas (CDTec/UFPel), Odir Antônio Dellagostin, tomou posse como Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de Ciências Agrárias neste dia 15 de maio.

Em 2018 foi divulgada a lista com os 18 novos membros titulares da academia, sendo apenas três membros oriundos do Rio Grande do Sul. Dellagostin foi o único representante da cidade de Pelotas nessa nova lista e, historicamente, o segundo professor da UFPel eleito Membro Titular da ABC.

Formado em Medicina Veterinária pela UFPel em 1989, Dellagostin é doutor em Biologia Molecular pela University of Surrey (Inglaterra) e tem pós-doutorado na área de Ciências Biológicas pela mesma universidade.

professor Odir Dellagostin discursa Pesquisador nível 1A do CNPq desde 2007, Dellagostin já soma mais de 200 artigos científicos publicados e mais de 50 orientações de teses e dissertações pelos programas de pós-graduação em Biotecnologia e em Veterinária.

No ano de 2013, a revista Ciência in Foco, da Sociedade Brasileira de Microbiologia, publicou um dossiê referente à produção científica em Microbiologia no Brasil em 2009. Na lista dos 100 autores mais citados, o professor Odir Dellagostin apareceu em 22º.

Com abundante experiência na área de Biologia Molecular, os principais temas trabalhados por Dellagostin são desenvolvimento de vacinas recombinantes, vacina contra tuberculose bovina e vacina contra leptospirose.

Dellagostin possui um notável histórico na área das ciências. Já foi coordenador do Centro de Biotecnologia; diretor do Centro de Desenvolvimento Tecnológico da UFPel; membro da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; coordenador do Comitê Assessor de Ciências Biológicas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS); membro do Comitê Assessor de Veterinária do CNPq; coordenador da área de Biotecnologia da Capes por quatro anos; e também foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPel. Atualmente, além de docente do CDTec, é diretor da FAPERGS.

No presente momento, a ABC possui cerca de 700 membros, dos quais apenas cerca de 20 são da seção de Ciências Agrárias, área em que Dellagostin foi nomeado como membro titular. Essa nomenclatura se dá aos cientistas radicados no Brasil há mais de dez anos e que possuem atuação científica de destaque.

A Academia Brasileira de Ciências

A Academia Brasileira de Ciências é uma entidade independente, não governamental e sem fins lucrativos, que tem como foco o desenvolvimento científico do Brasil.

A ABC é uma das associações de ciências mais antigas e prestigiadas do país, fundada em 1916. Nos primórdios da entidade, existiam apenas três seções: Matemática, Ciências Físico-Químicas e Ciências Biológicas, de acordo com o modelo da Academia Francesa de Ciências na época.

Atualmente a ABC possui dez áreas especializadas do conhecimento: Ciências Agrárias, Ciências Biológicas, Ciências Biomédicas, Ciências da Saúde, Ciências da Engenharia, Ciências da Terra, Ciências Físicas, Ciências Humanas, Ciências Matemáticas e Ciências Químicas.

De acordo com a Academia, sua missão institucional é reconhecer e estimular o ingresso, em seus quadros, dos mais importantes pesquisadores brasileiros, que pela liderança que exercem no avanço das atividades científicas e tecnológicas no Brasil, podem ser considerados os representantes mais legítimos da comunidade científica nacional.

Publicado em 20/05/2019, em Destaque, Notícias. Marcado com as tags Centro de Desenvolvimento Tecnológico, Ciência, Docentes, Gestão.