Início do conteúdo

Congresso de Cuidados Paliativos do Mercosul tem início em Pelotas

3 1 A cidade de Pelotas acolhe, a partir desta quinta-feira (5), a primeira edição do Congresso de Cuidados Paliativos do Mercosul, promovido pela Universidade Federal de Pelotas, Hospital Escola, Rede UFPel Saúde e pela Academia Nacional de Cuidados Paliativos. O evento ocorre até a sexta-feira (6), no Centro de Eventos Fenadoce.

O congresso tem por objetivo socializar as práticas de atenção e educação em cuidados paliativos, especialidade definida pela Organização Mundial da Saúde como sendo o cuidado ativo total de pacientes cuja doença não responde mais ao tratamento curativo. Nesse caso, o controle da dor e de outros sintomas e problemas de ordem psicológica, social e espiritual são prioritários, proporcionando melhor qualidade de vida a pacientes e familiares. Assim, o trabalho exercido é focado na interdisciplinaridade, já que o doente é tratado por uma equipe multiprofissional.

Com palestrantes do Brasil, Argentina, Uruguai e Chile, o evento contará com palestras específicas da área, a partir da abordagem de diversas especificidades profissionais. Já a mesa de abertura, moderada pela diretora do Hospital Escola da UFPel e presidente do Congresso, Julieta Fripp, foi voltada para a questão de políticas públicas e educação em cuidados paliativos.

Segundo o médico argentino Gustavo Di Simone, da Academia Argentina de Cuidados Paliativos, um dos grandes desafios é oferecer cuidados paliativos para todos aqueles que necessitam, não limitando-se também apenas às últimas semanas de vida. Já a representante do Ministério da Saúde do Chile, Lea Palácios, outra questão é a definição dos cuidados como parte do tratamento integral de saúde ao longo de toda a vida.

A presença do reitor da UFPel, Mauro Del Pino, nesse primeiro momento foi celebrada pela chilena, que afirmou que a sua presença significa a preocupação de alguns espaços acadêmicos já voltados para a formação na área.

De acordo com a diretora do HE-UFPel, a realização desse evento inédito serve para ampliar o debate em torno dessa questão, ainda pequeno no Brasil: “Poder trazer pessoas do Chile e da Argentina, que tem um avanço muito maior nessa área, para integrar com o Brasil é uma iniciativa muito promissora”.

O foco da universidade na especialidade será concretizado, além de diversas iniciativas, como o Programa de Internação Domiciliar Interdisciplinar (PIDI), já em andamento, através do Centro Regional de Cuidados Paliativos, em implantação no prédio da antiga Laneira Brasileira.

Publicado em 05/06/2014, em Destaque, Notícias.