Início do conteúdo

Projeto Remar para o Futuro estimula jovens e revela talentos

remo_7Remar para o Futuro é um projeto socioesportivo que contempla alunos da rede pública de ensino municipal de Pelotas. Tem como objetivo a socialização dos alunos por meio do esporte, estimulando as relações sociais e, assim, a formação de atletas para o remo. O projeto tem a parceria da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), por meio da Escola Superior de Educação Física (ESEF), Prefeitura de Pelotas, através da Secretaria Municipal de Educação (SMED) e a Academia de Remo Tissot. Em menos de um ano de atividades, a iniciativa já revela talentos na modalidade.

remo_3As seleções para participação no projeto se deram nas escolas Francisco Campos Barreto, Bibiano de Almeida, Afonso Vizeu e Piratinino de Almeida. Isso foi feito através de um banco de dados que faz a coleta do perfil genético dos alunos, analisando aspectos como altura, envergadura, potência, comprimento de perna, de coxa e testes nas máquinas de simulação de remo.

remo_4Os alunos são divididos em faixas etárias. A Pré-Equipe é destinada aos jovens entre dez e 13 anos, com treinos de duas a quatro vezes por semana. E a Equipe Competidora, destinada aos jovens de 14 a 16 anos, com treinos diários de segunda a sábado.

remo_6Para participar do projeto, os alunos precisam tirar boas notas na escola, ter assiduidade nos treinos e participar das atividades complementares do projeto. Dentre elas estão pilates, yoga, aulas específicas de alongamento e flexibilidade, levantamento olímpico e palestras educativas.

remo_2Remar para o Futuro iniciou as atividades práticas no dia 5 de outubro de 2015, conta com seis profissionais envolvidos e quatro bolsistas do Programa de Extensão Universitária do Ministério da Educação (Proext). O projeto recebe verba do Proext para compra de equipamentos e obtém, dessa forma, uma melhora na qualidade dos aparelhos. Oguener Tissot é criador do projeto e técnico principal da equipe. Ele, que também é técnico da seleção brasileira feminina de Jovens Talentos, afirma que a intenção do projeto é proporcionar uma melhora na qualidade de vida dos jovens e formar atletas para o remo brasileiro.

remo_8Das 30 vagas disponíveis para a participação gratuita no projeto, cinco são destinadas às meninas moradoras das casas lares de Pelotas. Todos os participantes ganham auxílio transporte da Prefeitura de Pelotas. O projeto conta também com convênios externos, como do curso de Fisioterapia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), o Estúdio Personal de Pilates e nutricionistas voluntárias.

Talentos e apoio
Dos participantes do programa, dois foram selecionados para os Jogos Mundiais da Juventude. Amanda Lima e Felipe Gomes competirão na categoria Sub-16. Outros participantes também já receberam destaque: David Boeira foi premiado no campeonato Sul-Americano e o Victor Ruzicki, ficou em 4° lugar no Panamericano 2015 e foi campeão no Campeonato Brasileiro de 2014.

Dentro do Remar para o Futuro, há o Programa Adote um Atleta, que busca parceiros para custear as viagens dos alunos. As empresas Apti Alimentos, Arroz Emoções e Drive Car participam da iniciativa. Há ainda um projeto voltado para adultos, na Academia de Remo Tissot, visando uma melhora no condicionamento físico e proporcionando lazer aos pais que muitas vezes levavam os filhos para os treinos e tinham vontade de participar. O custo varia de R$ 150 a R$ 280 por trimestre.

Jovens não selecionados mas que têm interesse em participar das atividades pagam mensalidade. A professora Vera Fernandes, mãe de Artur, 12 anos, afirma que conheceu o projeto através de amigos. O filho não foi contemplado, mas Vera não se importa de pagar a mensalidade, pois o projeto está fazendo muito bem para o filho. Segundo ela, Artur convive com pessoas de níveis sociais diferentes, aprende a viver em grupo, tem regras, deveres, além de ter a oportunidade de exercitar o corpo e a mente. Vera pretende começar a participar do projeto para adultos a partir do mês de setembro.

Piedro Xavier, 15 anos, participante do projeto há seis meses, afirma que tomou gosto pelo esporte a partir das aulas práticas na modalidade skiff. “Me sinto bem, noto que melhorei a alimentação e estou bem mais focado nos estudos. Sonho um dia me tornar remador profissional”.

Publicado em 05/07/2016, em Destaque, Notícias.