Início do conteúdo

31 de Maio. Dia Mundial Sem Tabaco

tabacoPara marcar a passagem do Dia Mundial sem Tabaco, comemorado neste sábado(31), diversas atividades estão programadas para esta sexta-feira(30), junto a entrada do prédio da Reitoria, no campus Porto, promovida pelo Projeto UFPel Livre de Tabaco. A atividade foi prestigiada pelo reitor Mauro Del Pino e pelo pró-reitor de Gestão de Pessoas, Sérgio Wotter, em visita realizada na manhã desta sexta-feira.

Segundo pesquisa feita em 2008 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Instituto do Câncer (Inca), Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aproximadamente 25 milhões de brasileiros com mais de 15 anos fumavam derivados de tabaco. Apesar de 93% dos fumantes declararam ter ciência dos males do fumo e 67% ter percebido campanhas antitabaco nos meios de comunicação, apenas 52% tinham planos de parar e só 7% queriam por a ideia em prática no mês seguinte à pesquisa.

tabagismoA pesquisa mostrou ainda que homens fumantes de tabaco industrializado gastavam cerca de R$ 89,27 por mês com cigarro e mulheres R$ 62,80. Com base nesses dados, é possível calcular que em um ano um casal de fumantes despende aproximadamente R$ 1,8 mil.

Em março de 2012, a Fundação Mundial do Pulmão informou que, em 2010, as seis principais fabricantes de produtos de tabaco do mundo tiveram lucros de US$ 35,1 bilhões, o equivalente ao faturamento da Coca-Cola, da Microsoft e do McDonald`s juntos.

Aumentar o imposto sobre o tabaco é o tema central, pautado pela OMS, para o Dia Mundial sem Tabaco em 31 DE MAIO DE 2014.

venenoDe acordo com dados divulgados pela OMS, a cada ano, cerca de seis milhões de pessoas morrem por fatores atribuídos ao tabaco, das quais 600 mil são fumantes passivos. De acordo com dados do Ministério da Saúde, 200 mil fumantes morrem por ano no Brasil.

A estimativa é que em duas décadas o número aumente para 8 milhões, com 80% dos óbitos em países com menor renda. A OMS alerta: “O tabaco mata mais que tuberculose, Aids e malária juntas”.

“O tabaco é um produto defeituoso. Mata metade dos seus consumidores”, disse Douglas Bettcher, diretor da Iniciativa Sem Tabaco, da OMS, no início de uma conferência internacional em Bangcoc. (http://www6.ensp.fiocruz.br/visa/?q=node/3698)

Publicado em 30/05/2014, em Notícias.