Início do conteúdo

UFPel tem aluna selecionada para o projeto “Diálogo Nobel Brasil”

A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) terá uma representante no evento “Diálogo Nobel Brasil”, organizado pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Nobel Prize Outreach (braço de comunicação da Fundação Nobel), em colaboração com o Instituto Serrapilheira. Mariana Gallio Fronza, aluna do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UFPel, foi uma dos 40 estudantes selecionados no país todo para discutir o valor da ciência.

O evento será realizado on-line, no dia 8, às 10h, e tem a proposta de promover uma discussão sobre a importância da ciência para a sociedade e de políticas públicas baseadas no conhecimento científico; principalmente em tempos de crise, como o atualmente enfrentado. Além disso, busca inspirar estudantes de todo o Brasil a perseguirem carreiras científicas.

A organização do encontro recebeu a indicação de aproximadamente 170 candidatos, oriundos de 90 universidades públicas, confessionais e privadas de 23 Estados e do Distrito Federal. “Chegar aos 40 estudantes que participarão do encontro não foi tarefa fácil, dada a elevada qualidade dos candidatos. Em um cenário difícil como o que o mundo e, especialmente, o Brasil, atravessa, me enche de esperança a riqueza e o potencial de futuro que vi representado nos estudantes que participaram deste processo”, enfatizou o presidente da ABC, Luiz Davidovich.

A atividade será dividida em duas partes principais. A primeira contará com um diálogo entre May-Britt Moser, laureada com o Prêmio Nobel de Medicina em 2014, e Serge Haroche, ganhador do Prêmio Nobel de Física em 2012, que serão acompanhados por Davidovich e Helena Nader, copresidente da Rede Interamericana de Academias de Ciências. A conversa será conduzida por Adam Smith, diretor científico da Nobel Prize Outreach.

Na segunda parte, haverá em sequência, duas mesas-redondas com os ganhadores do Prêmio Nobel (primeiro com May-Britt Moser, depois com Serge Haroche), nas quais os estudantes universitários selecionados (20 em cada mesa-redonda), terão a oportunidade de se juntar aos laureados em uma sessão de perguntas e respostas.

Na ocasião, Mariana procurará debater o papel essencial da ciência nos dias de hoje e a necessidade de políticas públicas que fomentam esse tipo de atividade no Brasil. Além disso, pretende discutir quais são os desafios esperados e ainda qual a reflexão que a pandemia de Covid-19 traz para a sociedade global. “É fundamental que a gente fale de ciência, que a gente aproxime a população da importância no investimento em iniciativas que apoiam o desenvolvimento de novas tecnologias. Além disso, ciência é interação e parceria. Então, espero que essa atividade traga mais visibilidade para a UFPel, mas também para a ciência que é feita de um modo geral no Brasil”, destaca a doutoranda.

Acompanhe
O evento será conduzido em inglês, com tradução simultânea disponível. A transmissão será realizada no YouTube do Nobel Prizeclique aqui para assistir a transmissão em português e aqui com áudio original. Mais detalhes estão na página do evento.

Trajetória
Mariana possui graduação em Biotecnologia e mestrado em Ciências: Biotecnologia pela UFPel, onde é aluna de doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia no Grupo de Pesquisa em Neurobiotecnologia. Realizou período de 12 meses (2019-2020) como bolsista da CAPES PRINT e três meses como Research Assistant no Alzheimer Center at Temple University. Tem experiência na avaliação de moléculas orgânicas em análises de bioinformática, como docagem molecular e interações proteína-ligante. Possui cerca de nove anos de manuseio de modelos animais, mimetizando patologias principalmente como Alzheimer e Transtorno Depressivo Maior, mas também nocicepção e epilepsia. Além disso, possui conhecimento em cultivo celular, diferenciação de células humanas pluripotentes (iPSCs) em micróglia e neurônios, e modulação gênica através de trasnfecção de RNA de interferência ou transdução de plasmídeos. Tem experiência na execução de técnicas bioquímicas como cinética enzimática e avaliação de biomarcadores, western blot, PCR, imunohistoquimica e imunofluorescência.