Início do conteúdo

Escola do Capão do Leão é parceira da UFPel para desenvolver o ensino

Uma escola localizada dentro do Campus Capão do Leão da UFPel, a Escola Municipal Margarida Gastal, passa a ser parceira da UFPel para desenvolver projetos de ensino, pesquisa e extensão. Protocolo de Intenção, assinado no começo da tarde desta segunda-feira (7), nas dependências da Escola, oficializou o acordo entre a Universidade e a Prefeitura do Capão do Leão, inicialmente previsto para cinco anos. O documento que regulamenta a atividade, chamada de Escola Parceira, foi firmado pelo reitor Pedro Hallal e pelo prefeito Mauro Nolasco.

“Este projeto traz a UFPel para dentro da Escola”, disse o reitor, em sua manifestação no ato de assinatura. Ele considerou que oito cursos já estão envolvidos no trabalho e que este número deve crescer. Para Hallal, a Universidade, que já tinha Hospital-Escola e Restaurante-Escola, agora passa a ter também uma Escola-Escola. “Estaremos aqui para interagir, colaborar e participar”, observou.

O prefeito do Capão do Leão se disse feliz com as parcerias mantidas com a Universidade, muito especialmente a que passa a ser feita na Escola Margarida Gastal, afirmou que a iniciativa poderá ser ampliada para outras escolas do município e destacou projetos realizados em conjunto com a UFPel, especialmente na área da Saúde.

“Um sonho realizado”. Assim a professora da Faculdade de Educação e assessora do Gabinete da Reitoria Lúcia Peres, do grupo de coordenação do projeto, definiu seu sentimento com o começo da parceria. Ela projeta um longo trabalho pela frente e informou que a primeira reunião de professores da UFPel que têm projetos no trabalho e Secretaria de Educação do Capão do Leão ocorre em 7 de março.

Presente na cerimônia, a secretaria de Educação, Cultura e Desporto do Município, Gilciane Baldassari, afirmou que estava muito feliz com a presença da Universidade na Escola. Também participaram do ato o vice-reitor da UFPel Luís Amaral e autoridades municipais do Capão do Leão.

Expectativa

“Estamos esperando ótimos resultados para o processo de ensino-aprendizagem”, projetou a diretora da Escola, Maria Tereza Argoud. Ela ressaltou o fato de projetos de diversas áreas estarem sendo propostos, das Artes à Tecnologia da Informação.

Meninas na Química

Um dos projetos que começam a ser realizados dentro da parceria é o Meninas na Ciência: o uso de temas motivadores para atrair novos talentos para a Química, coordenado pela professora do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos Márcia Foster Mesko.

O trabalho foi aprovado dentro de um edital do CNPq e receberá recursos que serão aplicados em três bolsas para alunas da Escola, uma bolsa para estudante da UFPel e uma bolsa para o professor da Escola envolvido diretamente no projeto, todas com duração de um ano. O CNPq disponibilizará ainda verbas para aquisição de materiais e reagentes para realização de experimentos. A atividade terá duração de 18 meses.

“Será um instrumento para atrair meninas para uma área ainda masculina”, disse a professora da Universidade. Márcia Mesko conta que a ideia é capacitar as meninas na área e criar um espaço para práticas e demonstrações, que podem ser bastante atraentes e até divertidas, como fazer um creme ou um talco ou até estudar fenômenos químicos.

A Escola

São 240 alunos na Escola Margarida Gastal, que frequentam desde a  pré-escola até o nono ano, pela manhã e tarde. Os estudantes são de comunidades da região, como o Bairro Jardim América, e até de assentamentos próximos. A Escola foi criada em 1948.

Publicado em 08/01/2019, em Destaque, Notícias.