Início do conteúdo

UFPel debate saneamento e saúde ambiental em bacias transfronteiriças

Até esta terça-feira (5), o curso de Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com o apoio da Agência de Desenvolvimento da Bacia da Lagoa Mirim (ALM), está promovendo o I Seminário Internacional Saneamento e Saúde Ambiental: Desafios em Bacias Hidrográficas Transfronteiriças (I Sissa). O evento ocorre no auditório da Faculdade de Direito.

São de mais de cem participantes, entre professores, estudantes, pesquisadores, gestores públicos e privados e comunidade em geral. Entre eles, pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, da Escola Nacional de Saúde Pública, e do Uruguai.

Segundo o professor Maurício Pinto da Silva, organizador do evento, o Brasil tem oito bacias hidrográficas compartilhadas com países vizinhos. Uma delas é a da Lagoa Mirim e do São Gonçalo. “É preciso fazer, então, o planejamento e gestão compartilhada desta bacia com o Uruguai”, disse o docente da UFPel. Esta gestão vai de pontos que englobam desde o transporte hidroviário até questões ambientais.

“Tudo está relacionado a uma política de gestão das águas”, considera Pinto da Silva, ressaltando que o Seminário contribui para a elaboração do Plano da Bacia, que tem como um dos pontos principais a questão do saneamento. Conversas com a representação uruguaia em torno do Tratado da Lagoa Mirim também são pauta importante do encontro.

Na tarde desta segunda-feira, os debates giraram em torno do tema Contexto Socioambiental na Bacia Mirim São Gonçalo, desafios e antecedentes. Na manhã desta terça-feira, reúnem-se as delegações brasileira e uruguaia, na Agência da Lagoa Mirim. À tarde, as discussões abordarão o tema Planejamento, Gestão e Tecnologias em Saneamento Ambiental: Desafios Transfronteiriços.

Clique na imagem para ver toda a programação e participantes dos painéis.

Publicado em 04/06/2018, em Destaque, Notícias.