Início do conteúdo

Vote: concorrente à Marca de Pelotas é criação de alunos e professores da UFPel

Uma iniciativa entre a Prefeitura e a Câmara Municipal, além das instituições de ensino superior da cidade, pretende atribuir uma marca à cidade de Pelotas. E uma das finalistas foi criada por estudantes e professores dos cursos de Design da Universidade Federal de Pelotas.

Após os trabalhos realizados pela comissão organizadora e a apresentação de diversas propostas elaboradas pela Universidade Federal, pela Universidade Católica e pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense, por serem as instituições de ensino que possuem cursos na área do Design, foram decididas por meio de uma banca técnica as propostas finalistas: uma delas da UFPel, como já citado, e outra vinda do IF-Sul.

Agora é a vez de a população local decidir qual será a imagem que representará Pelotas pelos próximos anos. Por meio de um simples sistema, que pede nome e número de CPF, os pelotenses podem escolher entre as duas concorrentes: a de número 1, criada pela UFPel, e a 2, feita pelo IF. A votação está sendo realizada por meio da Internet, neste link, ou presencialmente, em um totem instalado no Mercado Central. O prazo final para o voto é o das 9h da sexta-feira (7), dia do aniversário de 205 anos da cidade.

Unir passado e futuro

A coordenadora dos colegiados dos cursos de Design Gráfico e Design Digital da UFPel, professora Roberta Barros, visitou na manhã desta segunda-feira (3) o reitor da Universidade, professor Pedro Curi Hallal. Na oportunidade, a docente pode explicar a proposta, chamada “#soumaispel” e o seu processo de criação.

Roberta destacou que um dos diferenciais da marca concorrente foi a forma de criação, de construção coletiva entre o grupo. “Foi muito enriquecedor”, contou ela, ao dizer que foi gratificante o fato de sair das teorias de sala de aula e entrar em contato com as ideias e os trabalhos tanto dos docentes quanto dos discentes.

Ao apresentar a marca, a professora afirmou que a ideia foi a de não apegar-se a símbolos, especialmente aqueles que remetem apenas ao caráter histórico da cidade: “Queríamos que fosse uma marca que fosse plural, que mostrasse as diversas faces de Pelotas: histórica, mas também turística, tecnológica, universitária”.

A partir do conceito de diversidade e partilha, a proposta busca olhar para o futuro sem negligenciar o passado. A ênfase no uso do “pel” como elemento gráfico, também explicou Roberta, traz uma relação de proximidade com Pelotas, emoldurando o seu cotidiano e acolhendo essas suas facetas. “A marca não tem que contar histórias, mas sim dar uma ideia daquele lugar”, pontuou. Assim, ao fugir dos clichês da arquitetura e dos costumes, chegou-se à imagem final, com linhas ascendentes e descendentes que simbolizam essa ponte entre o passado e o futuro.

Finalizando sua explicação, Roberta destacou a participação coletiva de estudantes e professores. A marca teve como colaboradores os alunos Caroline Elisa da Silva, José Paulo Portela, Thiago Silva, Karissa Yokemura, Clarissa Lazzari, Thaise Porto, Carolina Peres, Ingrid Gonçalves, Felipe Brandão e Miguel Sobrinho, orientados pelos professores Roberta Barros, Roger Langone, Lúcia Weymar, Paula Lima, Nadia Leschko, Sibelle Medeiros e Ana Paula Penkala.

Mais informações sobre o conceito da marca, podem ser encontradas na fanpage da proposta no Facebook. 

Publicado em 04/07/2017, em Destaque, Notícias.