Início do conteúdo

BPP recebe, nesta quinta (6), recital Ársis, duo de flauta e piano

A Bibliotheca Pública Pelotense (BPP) recebe nesta quinta (6) o recital ‘Ársis’, duo de flauta e piano, às 19h30min, com entrada gratuita. O evento tem o apoio da UFPel.

O recital “Ársis” é uma iniciativa do pianista Patrick Menuzzi e da flautista Mayara Araújo, ambos integrantes do Trio Arakime – também realizador do evento, que se propõe a apresentar três obras que ilustram diferentes momentos do romantismo musical europeu.

“Ársis” é o impulso, o movimento. Sua acepção vem dos princípios naturais de tensão e repouso. Em oposição à Thesis, Arsis é propulsão, a continuidade do discurso musical.

Assim, o programa é formado por composições de distintos momentos, formas e países ao longo do século XIX.
Iniciando por Robert Schumann (1810-1856), seus “Drei Romanzes”, Op. 94 (1849), originalmente escritos para oboé, frutos de uma produtiva fase, ainda que cada vez mais afetado por episódios maníacos, os três romances acompanharão a deterioração mental de Schumann, logo depois internado em um asilo em Düsseldorf.

A “Introdução e Variações” D.802, de Franz Schubert (1797-1828), sobre uma canção, “Trockne Blume” (Flores secas), pertencente ao ciclo “Die schöne Müllerin” (A bela Moleira), foi escrita em 1824 e dedicada ao flautista que a encomendou, Ferdinand Bogner, mas só publicada anos depois da morte do compositor, em 1850. As variações estão inseridas na última fase composicional de Schubert, que sofria de sífilis desde 1822 e viria a morrer quatro anos depois das mesmas estarem finalizadas.
Por fim, a Sonata em Lá Maior, FWV 8, composta em 1886, é uma das mais representativas obras do repertório camerístico. Com rica linguagem harmônica, César Franck, que sofria de complicações respiratórias, morreria quatro anos depois de sua composição estar finalizada. A obra foi dedicada ao violinista Eugéne Ysaÿe que a estreou com sua esposa, Leontine Bordes-Penés, no mesmo ano de composição. Várias transcrições para outros instrumentos ficaram famosas, sendo a versão para flauta de 1910, realizada por Franz Linden.

Evento: https://www.facebook.com/events/269870300153770/

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=n8KgHOrHE2g

Publicado em 03/07/2017, em Agenda, Destaque, Eventos Culturais, Notícias.