Início do conteúdo

Alunos da UFPel embarcam rumo à África

professoras-e-alunosNo último dia 21, quarta-feira, Bruna Fortes Thedim Sardilli, graduanda em Cinema e Audiovisual e Cléber José Silveira da Costa, doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação, embarcaram rumo à Maputo, em Moçambique. Os dois estudantes foram selecionados para o programa Tecnologias Educacionais Digitais: Cooperação Transnacional e Interinstitucional na Produção de Conhecimentos em Educação e Formação de Professores (TEDUCA), custeado pela CAPES e efetuado numa parceria entre as Faculdades de Educação da Universidade Federal de Pelotas (FAE/UFPel) e da Universidade Eduardo Mondlane (FACED/UEM).

Programa 

O programa de pró-mobilidade acadêmica internacional existe desde 2013 e envolve ações de pesquisa e extensão, estando vinculado ao Grupo de Pesquisas Comunicação, Cultura e Tecnologias (CoCTec/Cnpq). Até esse ano, a UFPel enviou mais de 15 pessoas para a capital moçambicana, entre professores e alunos. A coordenadora do programa, professora Rosária Ilgenfritz Sperotto, conta que inicialmente foi feito um levantamento de como as mídias são usadas na universidade de destino. “Agora, os alunos terão a oportunidade de, entre outras ações, acompanhar os professores da FACED/UEM para o preparo no AVA Moodle de suas disciplinas e de realizar um ensaio fílmico demonstrando, a partir das imagens, a cultura local, evidenciando práticas de educação formal e informal, além do cotidiano da população moçambicana.”, diz a pesquisadora.

Segundo Rosária, notou-se que “são poucas as pessoas que usam as mídias digitais na educação”, assim, o foco dos alunos será a produção de documentários sobre práticas educacionais. A professora ainda ressalta a importância do projeto: “é fantástico! Além da integração cultural, pois são países de língua portuguesa, todos os professores têm uma ótima formação, o que contraria a ideia preconceituosa que pode-se ter sobre países da África”. Ela defende também que é uma oportunidade única de troca de saberes e conhecimentos entre os dois países.

O retorno dos estudantes da UFPel está previsto para o mês de abril de 2017. Além de suas ações de trabalho, a coordenadora também tem a missão de ir até Maputo praticar ações como ministrar aulas, participar de orientações de mestrado e palestrar para a comunidade.

Salvar

Publicado em 26/12/2016, em Notícias.