Início do conteúdo

APL da Saúde discute articulação de projetos em evento

EVENTO 3A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) sediou, no dia 23 de fevereiro, o evento “Articulação de Projetos entre Instituições de Ensino e Pesquisa e Empresas na Saúde”, organizado pelo Arranjo Produtivo Local (APL) Complexo Industrial da Saúde.

EVENTO 2O evento teve como objetivo a discussão de projetos que já foram e estão sendo desenvolvidos entre empresas e instituições de ensino, com foco para os projetos que envolvem tecnologias para a saúde. Além disso, o encontro buscou integrar profissionais e estudantes dessa área de interesse.

Entre os presentes, estiveram representantes das empresas – Contronic, Detecta DNA e Lifemed -, das instituições de ensino – UFPel, Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Participaram, também, integrantes da Prefeitura Municipal de Pelotas, da Associação dos Municípios da Zona Sul e do Hospital Escola.

Na ocasião, o professor Luciano Agostini, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPel, dissertou sobre o impacto que o APL Saúde vem trazendo para o ensino, a pesquisa e a extensão da região. Ele falou, também, sobre a postura de maior comprometimento com a inovação e com a articulação de empresas que a UFPel vem tomando nos últimos anos e finalizou ressaltando a importância de eventos nos moldes dos promovidos pelo APL.

A primeira palestra foi do Coordenador da Divisão de Engenharia Biomédica e Clínica da PUCRS, professor Denis Barbieri. Ele tratou da articulação de projetos entre instituições de ensino e pesquisa e empresas na saúde sob a óptica da PUCRS/INOVAPUCRS e Agência de Gestão Tecnológica (AGT).

Barbieri começou sua palestra analisando o aspecto histórico da visão adotada pela PUCRS de promoção da inovação. Em seguida, explanou sobre a AGT e seu papel como facilitador da interação Universidade – Empresa – Governo. Logo após, o professor demonstrou o impacto da AGT no processo da interação através de números atualizados, aproveitando também para explanar sobre os serviços prestados pela mesma e os processos neles envolvidos. Dando continuidade, apresentou o avanço territorial da Agência, suas áreas de abrangência, sua metodologia empregada na análise do nível de maturidade tecnológica dos projetos, o perfil das empresas de Equipamentos Médico-Hospitalares e Odontológicos (EMHO), os principais desafios do setor e casos de sucesso de parcerias firmadas entre empresas da região do APL Saúde e a PUCRS.

Na sequência, o sócio e gerente administrativo da Contronic, Sidinei Seus, falou sobre as Parcerias para o Desenvolvimento de Produtos para Saúde. Ele forneceu um panorama geral sobre sua empresa, seguindo com uma explicação detalhada sobre sua área de atuação e de seus produtos, introduzindo assim o assunto para as inovações que a Contronic está realizando através da parceria com instituições de ensino, com estimativas de expansão global, os prováveis desafios que enfrentarão e as novas tecnologias com que irão trabalhar. O clímax da palestra se deu logo após a enumeração das parcerias de desenvolvimentos passadas e atuais, com o desafio de que as entidades pensem juntas sobre as vantagens, desvantagens e particularidades da relação entre política institucional, conhecimento pessoal e relacionamento.

Em seguida, o coordenador de Assuntos Regulatórios da Lifemed, Léo Albornoz, iniciou sua palestra sobre o Desafio na Articulação de Projetos entre Instituições de Ensino e Empresas. Ele falou sobre a empresa e o desenvolvimento de produtos para a saúde, ressaltando desde uma concepção geral, até aspectos técnicos e normativos. Em seguida, apresentou o conceito de Núcleo de Prospecção Tecnológica e Gestão da Inovação (NPTGI), analisando características pertinentes à Tríplice Hélice (Empresa – Academia – Governo), pesando dificuldades no estabelecimento de sinergias entre os agentes e demonstrando um exemplo de desenvolvimento de produto através da parceria da Lifemed com a PUCRS. Albornoz demonstrou exemplos de produtos da Lifemed desenvolvidos pelo NPTGI e sob o conceito da tríplice hélice, de geração de conhecimento decorrentes dos projetos de parceria, PDP’s, e o impacto que o novo marco legal da ciência, tecnologia e inovação traria para o país. Ao finalizar seu discurso, citou os oito benefícios que a interação entre indústrias e universidades trazem para um país, publicado pelo empresário Ricardo Felizzola.

A noite seguiu com uma mesa-redonda formada pelos palestrantes e mediada pelo professor Rafael Lund. Na oportunidade, foi possível a interação dos espectadores com os apresentadores, que responderam dúvidas, questionamentos e comentaram sobre assuntos levantados pela plateia.

Projetos
Seguindo a programação, o professor Manoel Porto Júnior, pró-reitor de Extensão e Cultura do IFSul, iniciou sua fala demonstrando a evolução de sua instituição nos últimos anos, demonstrando o impacto que vem trazendo na vida de milhares de pessoas em todo o estado.

Em seguida, houve a palestra do professor Adão de Souza Júnior, professor do Grupo de Eletrônica e Telecomunicações (GET) que iniciou introduzindo a história do IFSul, sua expansão, e continuou trazendo conceitos sobre grupos de pesquisa, desafios da interação entre institutos de ensino e empresas, etapas de pesquisa e desenvolvimento, linhas de pesquisa, projetos e convênios do GET e os resultados que vêem obtendo em pesquisas, desenvolvimento tecnológico e sua visão de futuro.

Ao finalizar sua fala, Souza Júnior deu espaço ao professor Márcio Bender Machado, coordenador do projeto de interface Óculos Mouse. Ele falou sobre o projeto, considerado um exemplo de como a inovação tecnológica pode melhorar a vida das pessoas. A iniciativa possibilita que pessoas sem a coordenação fina dos membros interajam com o computador através da percepção de seus movimentos oculares.

Depois, os professores responderam dúvidas e questões levantadas pela plateia.

O APL
O APL Saúde é uma organização composta por empresas, instituições de ensino e pesquisa, prefeituras, governo estadual e associações que mantêm vínculos de interação, cooperação, comércio, tecnologias e aprendizagem mútua.

 

Publicado em 29/02/2016, em Notícias.