Início do conteúdo

Debate sobre projeto Cidade Estudantil é ampliado

DSCN0231 A Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPel (FAUrb) promoveu um evento na última sexta-feira (27) com o intuito de expandir a discussão sobre o projeto da Cidade Estudantil. Abrangendo a área que vai desde o curso de Direito, passando pelo Campus II da UCPel, pelas unidades acadêmicas do Porto e chegando até o Campus Anglo, a Cidade Estudantil é um conceito que visa priorizar os pedestres e fazer das ruas um espaço de convivência. Para que todos os interessados pudessem participar, o encontro se deu em espaço aberto, na esquina das ruas Benjamin Constant e Alberto Rosa.

O evento foi organizado pela FAUrb, o Laboratório de Urbanismo, o Escritório Modelo da FAUrb (JoãoBEM) e o Projeto de Extensão CicloUFPel, com apoio da Prefeitura Municipal de Pelotas. Os professores Maurício Polidori e Otávio Peres, ambos atuantes nos grupos acima, encabeçam a proposta juntamente com outros integrantes da faculdade.

A Cidade Estudantil não é uma ideia nova. Desde 2001, a prefeitura trouxe a discussão dentro do Plano Diretor. A UCPel sugeriu melhoras em torno do Campus I, que posteriormente tiveram sua abrangência aumentada pela prefeitura e, mais recentemente, contando com a participação da UFPel. A arquiteta Fernanda Tomiello baseou seu projeto de graduação pela FAUrb na qualificação da Rua Alberto Rosa, mais especificamente as quadras em frente ao Centro de Artes e ao ICH.

DSCN0236O grupo que esteve presente na sexta-feira se dividiu para discutir o desenho do projeto, tomando como base a proposta de Fernanda, assim como as estâncias de participação e a visibilidade. Para diminuir a velocidade e o fluxo de automóveis, priorizando os pedestres e o encontro das pessoas nas ruas, foram pensadas calçadas mais largas, mobiliários, arborização, iluminação e pavimentação diferenciada.

Fernanda observa que o trabalho é uma forma de trazer o conhecimento adquirido na Universidade para a prática. Ressalta que é necessário pensar uma forma de fazer com que seja bom para todos os que moram ou estudam na região. Para isso, o debate deve chegar à comunidade em geral. Os grupos que se reuniram na sexta também começaram a planejar intervenções com oficinas de dança, teatro, convidando os coletivos da cidade, associação de moradores etc. A ideia é que assim um número maior de pessoas se envolva e dê ideias.

O investimento na Cidade Estudantil está previsto no Plano Plurianual da prefeitura, focando a requalificação da Alberto Rosa e da Três de Maio, através obras da Secretaria de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana. O projeto pode auxiliar, inclusive, a tornar a zona mais segura. Na visão da secretária de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana, Joseane Almeida, uma rua onde as pessoas não costumam caminhar e só tem o fluxo de automóveis se torna insegura. “A questão da segurança é competência do governo do estado, mas a gente acredita que através do desenho urbano é possível se melhorar as condições de segurança de uma rua”, completa.

Publicado em 01/04/2015, em Notícias.