Início do conteúdo

Margarida Gastal forma alunos que participam do Programa Escola Parceira da UFPel

A Escola Margarida Gastal formou, na noite desta quarta-feira (8), a turma do nono ano que participou das atividades do Programa Escola Parceira, programa institucional firmado entre a UFPel e a Secretaria de Educação do Capão do Leão que tem como finalidade a integração entre profissionais e estudantes das duas instituições e a troca de saberes dentro de estratégias de aprendizagem cooperativa.

O Programa está em seu segundo ano e conta com diversos projetos nas áreas de Engenharia Eletrônica, Farmácia, Química, Educação, Dança e Agronomia. Entre eles, o Projeto Meninas na Ciência: o uso de temas motivadores para atrair novos talentos para a química mudou os planos para o futuro de duas estudantes da Escola.

Bruna Coelho Rodalles e Stephanie Esteves Beskow decidiram seguir os estudos na área de Química depois de participar do projeto coordenado pela professora Márcia Mesko. Bruna conta que o “Meninas na Ciência” proporcionou além de conhecer o laboratório e os dez pesquisadores que trabalham nele, entender melhor a pesquisa que é realizada na área. “Eles nos ensinaram algumas experiências, participamos de eventos, criamos um Bingo com a tabela periódica para compartilhar o conhecimento com os colegas e organizamos uma Feira de Ciências para as crianças do 4º e 5º anos”, explicou Bruna.

Stephanie também se interessou pela Química a partir do Projeto e as duas colegas já tentaram Química no IFSul. “Eu sempre pensei que Química era uma área difícil, com o projeto consegui notar que não é bem assim, o que aprendemos mostra que é possível colocar em prática no dia a dia, fizemos experiências em casa inclusive”, disse.

A estudante Maria Fernanda Mattoso Pereira que também participou do projeto Meninas na Ciência conta que o projeto foi muito importante para a sua formação, embora não queira seguir na área. “Eu optei por seguir meu sonho que é atuar na área de moda, mas o projeto fez quebrar o tabu que eu tinha com a ciência, de que era algo chato. Nós descobrimos o que era química e aprendemos coisas novas, foi muito importante”, disse.

Formatura

Durante a cerimônia foi realizada a colação de grau dos 14 estudantes da Escola. Em seu discurso, a paraninfa da turma, professora Ana Paula Oliveira, lembrou os formandos de que eles são capazes de fazer o que eles quiserem. “Vocês estão colando grau no auditório da UFPel e vocês são capazes de estudar nesta instituição também”, exemplificou.

A diretora da Escola, Maria Tereza Brum Argout destacou que a localização próxima da UFPel permite a troca de saberes e a interação das duas instituições. “Os projetos são muito interessantes e importantes para a formação dos nossos estudantes”, afirmou.

Para a professora da UFPel que coordena o Programa, Lúcia Peres, as atividades realizadas em conjunto permitem além de qualificar as questões pedagógicas, estreitar os laços entre professores e estudantes das duas intituições. “É uma honra coordenar este projeto que tem como objetivo melhorar e ampliar o ensino, sobretudo, em um tempo tão difícil de ataques à educação, nós acreditamos que a educação liberta”, disse aos formandos.

Para a secretaria de Educação do Capão do Leão, Gilceane Baldassari, o projeto é uma parceria que permite que todos os envolvidos sejam contemplados com benefícios. “Nosso município e a escola qualifica a educação e o ensino, a Universidade consegue colocar em prática e compartilhar o conhecimento e os estudantes têm uma formação melhor”, destacou.