Início do conteúdo

Estudante da UFPel ganha destaque com atuação em ações de sustentabilidade

Com o sonho de trabalhar na Organização das Nações Unidas (ONU), a graduanda do curso de Relações Internacionais da UFPel, Renata Padilha, é ambientalista, voluntária de organizações e, atualmente, desenvolve um projeto de sustentabilidade no Parque Tecnológico de Pelotas. A estudante vem acumulando em seu currículo diversas atividades ligadas a sustentabilidade e voluntariado, como os trabalhos para a Vida Urgente de Porto Alegre, Legião do Bem de Santa Maria, Greenpeace, AIESEC em Pelotas e Núcleo Regional dos ODS na região sul do RS, junto ao COREDESUL.

Pela sua atuação, em 2018, foi selecionada para representar o Brasil na Assembleia Jovem da ONU, que reuniu em Nova Iorque cerca de mil jovens de mais de 110 países com o objetivo de pensar os problemas do mundo e as formas de solucioná-los. Para conseguir participar da Assembleia, além do apoio da UFPel, Renata realizou uma campanha de doação de recursos para custear parte da sua ida ao evento e foi desta forma que ela deu início a parceria com a empresa Co.Place Coworking que tem espaços dentro do Parque Tecnológico de Pelotas.

Projeto EcoWorking

Após a participação de Renata no evento da ONU, surgiu o convite para atuação na Co.Place e, desde julho de 2019, a estudante passou a desenvolver o projeto EcoWorking na empresa que conta com um espaço de coworking e uma Cafeteria 24h, dentro do Parque Tecnológico. “O objetivo é fazer com que as pessoas tenham um pensamento mais crítico sobre as questões ligadas a sustentabilidade”, explica Renata.

Para o desenvolvimento do projeto foram pensadas várias iniciativas a serem implementadas dentro dos três pilares da empresa: consciente coletivo, estimulo da produção local de alimentos, produtos e serviços e gestão de materiais e resíduos, que além de estimular a redução de consumo de plástico e outros materiais, também busca uma forma mais sustentável de descarte de resíduos.

Neste sentido, Renata passou a atuar mais efetivamente para a implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que fazem parte da Agenda 2030 da ONU e constituem os principais objetivos para a manutenção de um mundo mais sustentável. Entre os ODS’s que a estudante conseguiu desenvolver dentro da Co.Place estão a Erradicação da Fome e Incentivo da Agricultura Sustentável, Promoção de Saúde e Bem-Estar, Educação de Qualidade para Todos, Consumo e Produção Responsável e Ação Contra a Mudança Global do Clima.

Entre as ações desenvolvidas na Cafeteria da Co.Place alinhadas com estes objetivos estão a retirada de materiais de plástico de uso único como os mexedores de café, que antes eram de plástico e atualmente são de madeira. Outra ação importante foi a instituição da Segunda Sem Carne, de forma a incentivar o público a não consumir carne, tendo em vista que o consumo de carne está diretamente relacionado com as questões ambientais. “A cafeteria produz diversos tipos de lixo, sendo boa parte formado por plástico, então como conseguimos substituir os plásticos? Como conseguimos diminuir as embalagens dos produtos que vendemos? Este é um dos espaços mais desafiadores para o projeto”, salienta.

O EcoWorking também desenvolve cursos e workshops sobre sustentabilidade como o de Design Circular que tratou da redução de utilização de plástico, mas também ensinou novas possibilidades de destinação dos resíduos que seriam descartados. O objetivo final é a execução de eventos Lixo Zero no Parque Tecnológico e, havendo a geração de resíduos ter a responsabilidade de destinar a cooperativas de reciclagem. “São pequenas ações que no montante produzem resultados significativos em conformidade com a Agenda 2030. Ainda não conseguimos abranger todo o Parque, mas a ideia é essa”, sinaliza Renata.

Para o professor de Gestão Ambiental da UFPel, Maurício Pinto da Silva, que orienta a estudante em seu projeto, o projeto futuramente poderá ser replicado facilmente por outras empresas. “O mundo dos negócios não está de fora da agenda 2030 da ONU. A Renata tem conseguido tornar a medida aplicável através dos conhecimentos vistos em sala de aula e por meio do projeto de pesquisa, então ela está transpondo os propósitos de um projeto de pesquisa”, salienta.

Premiação

Recentemente, o projeto de Renata obteve o primeiro lugar na Expo Ecoinovar – Soluções Inovadoras para um Futuro Sustentável, do 8º Fórum Internacional Ecoinovar, evento organizado na Universidade Federal de Santa Maria, que teve como temática “Em busca de um futuro inclusivo e inovador orientado aos ODS” e reuniu estudantes de graduação e pós-graduação, empresários, pesquisadores, administradores, ONGs ambientalistas e profissionais de diferentes áreas que debateram os desafios e perspectivas sobre a Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável-ODS/ONU.

Para o professor Maurício Pinto da Silva a premiação é resultado da dedicação de Renata aos estudos, ao trabalho voluntário junto aos ODS’s, bem como de seu engajamento em causas ambientais e da juventude.

Apoio

A estudante salienta a importância da UFPel em sua formação. “Nada disso seria possível se não fosse as estruturas que a UFPel me proporcionou. Eu sou bolsista de vários auxílios. Eu tentei duas vezes UFRGS, para ficar perto dos meus pais, depois consegui na UFPel. Na época foi muito difícil, meus pais estavam desempregados e eu fiquei um mês sem receber auxílio, na base da fé, mas depois consegui auxílio transporte, moradia e alimentação. É assim que consigo desenvolver este trabalho aqui, então todas as oportunidades que eu estou tendo estão sendo possíveis pelo apoio da Universidade”, comemora Renata.

Publicado em 21/11/2019, em Notícias.