Início do conteúdo

Intercambistas ingleses encerram período de estada na UFPel

A ginga e o ritmo brasileiros conquistaram os súditos da rainha Elizabeth 2ª que estiveram em Pelotas para um curso de férias nas últimas semanas. Estudantes e docentes da Universidade de Bath Spa vieram à UFPel à convite do professor Leandro Maia, que realiza estágio pós-doutoral na instituição inglesa, para um breve período de três semanas de intercâmbio, realizados em setembro.

O interesse surgiu quando o docente brasileiro apresentou a música brasileira aos colegas ingleses, que demonstraram interesse: “Ele nos mostrou a capoeira”, explica Matthew Spring, um dos professores que acompanhou o grupo. Além dele, outro docente e mais quatro estudantes estiveram no Brasil para as atividades propostas, lideradas pela Coordenação de Relações Internacionais da UFPel (CRInter).

Como o grupo era formado por acadêmicos da área de Música, muito da programação realizada em Pelotas foi voltada para o tema: visitas a espaços musicais, workshops e aulas, especialmente no campo da percussão, que já haviam encantado os estrangeiros em seu primeiro contato com a música brasileira.  Outras aulas ministradas foram de português para estrangeiros.

No entanto, foi proposta aos ingleses uma imersão na cultura regional. “Queríamos mostrar a cultura de Pelotas como um todo, não esconder nada”, afirmou Gabriela Chaves, da equipe da CRInter. No período em que estiveram na cidade, eles puderam torcer em uma partida de futebol, participar das comemorações farroupilhas em um centro de tradições gaúchas (CTG), visitar um terreiro, conhecer o centro histórico, entre tantas outras atividades. “A gente pôde sentir como se morasse aqui”, contou a estudante Alice Brooks.  A culinária local também foi explorada: os visitantes puderam comer o tradicional bauru pelotense, provar refrigerante de guaraná e comer churrasco. Mas o que mais chamou atenção foi o gosto dos brasileiros pelos corações de frango.

Uma das experiências mais marcantes para Alice foi conhecer o bloco Tamborada, localizado na praia do Laranjal. Segundo a intercambista, o contato foi tão intenso que foi composta até uma canção durante a visita: “Foi um dia ótimo”. Enquanto estudante da vertente clássica da Música, ficarão para ela as referências a serem incluídas em suas composições.

Início de uma parceria

Para o professor Spring, este foi o primeiro passo para uma parceria de mais longa duração. “Estamos com a ideia de conectar ainda mais nossas universidades”, explica ele. Dessa forma, novas formas de intercâmbio poderão ser exploradas, inclusive aqueles de mais longa duração. Segundo o docente, a Universidade de Bath Spa está em busca de ligações globais mais amplas, fora da Europa.

Publicado em 11/10/2018, em Destaque, Notícias.