Início do conteúdo

Hospital Escola oferta serviço para atendimento ambulatorial pós-Covid

Para tratar das síndromes pós-Covid, tendo em vista que a Covid-19 agora é reconhecida como uma doença de múltiplos órgãos com um amplo espectro de manifestações, inicia na próxima quinta-feira (20) o primeiro ambulatório de Pelotas para o cuidado multidisciplinar dos sobreviventes da doença. O serviço será oferecido pelo Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel), regulado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

O ambulatório contará com equipe formada por médicos pneumologista e fisiatra, além do atendimento multiprofissional de fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia e educação física. Conforme o médico fisiatra, chefe da Unidade do Sistema Neuro-Musculo-Esquelético, Fábio Guarany, a síndrome pós-Covid é caracterizada por sintomas persistentes e complicações retardadas ou de longo de prazo (além das quatro semanas desde o início dos sintomas), que exigem cuidados multidisciplinares e manejo em ambulatório especializado.

Dentre as principais sequelas estão: fadiga, declínio de qualidade de vida, fraqueza muscular, dor nas articulações, dispneia, tosse, necessidade persistente de oxigênio, ansiedade, depressão, perturbação do sono, transtorno de estresse pós-traumático, perturbações cognitivas, dores de cabeça, palpitações, dor no peito, tromboembolismo e doença renal crônica.

De acordo com a chefe da Divisão da Gestão do Cuidado do HE, Patrícia Noguez, conforme a necessidade do paciente durante a primeira consulta com o médico pneumologista, será feito encaminhamento para a equipe multiprofissional para a reabilitação.

“É um serviço que amplia o cuidado do paciente acometido pelo coronavírus. Ainda não conhecemos totalmente as consequências, mas sabemos que precisamos de um atendimento diferenciado ao paciente pós-Covid. É neste sentido que o HE e a SMS pensaram e construíram essa linha de cuidado. Mais uma vez, o HE reafirma seu comprometimento com a saúde pública, e disponibiliza um serviço muito importante à comunidade”, destacou a Secretária Municipal de Saúde, Roberta Paganini.

FLUXO – Pacientes que tiveram alta hospitalar mas persistiram com dois ou mais sintomas respiratórios após a cura da Covid-19 poderão ser encaminhados para atendimento no ambulatório. O fluxo se dará através do Núcleo Interno de Regulação dos hospitais, para a Central de Regulação do Município, no momento da alta do paciente.

O atendimento será no Ambulatório de Reabilitação e Neurodesenvolvimento que, recentemente, mudou-se para o prédio da Faculdade de Medicina, na avenida Duque de Caxias, 250 (entrada pela parte de trás do Serviço de Radioterapia). O funcionamento será de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.