Início do conteúdo

Nota sobre o Calendário Alternativo

Nota da Gestão sobre o calendário acadêmico alternativo

Iniciamos nesta semana o “calendário alternativo” com oferta de atividades de ensino de graduação e pós-graduação no formato remoto.

Desde o início das discussões sobre a possibilidade deste calendário, houve a preocupação da gestão e dos diversos segmentos da comunidade universitária sobre as condições objetivas para a implementação de um calendário utilizando tecnologias de ensino a distância, seja em relação à estrutura, suporte e equipamentos, seja relacionada aos conhecimentos específicos para uso e acesso às plataformas e ferramentas por professores, técnicos e alunos.

Iniciou-se, em paralelo à construção do calendário, um movimento institucional no sentido de ampliar e qualificar os equipamentos; modificar e adequar sistemas; constituir grupos de apoio técnico e pedagógico; promover a formação para a utilização de TICs e aumentar as ofertas, bem como de oferecer alternativas para ampliação do acesso à internet pelos estudantes por meio de programas da PRAE.

Foram realizadas inúmeras reuniões de discussão, planejamento e organização para viabilizar ofertas de atividades que pudessem contribuir para a manutenção do vínculo institucional dos alunos, a relação entre professores e alunos e o aproveitamento dessas atividades para a integralização curricular.

Mas, como esta é uma situação totalmente nova e desafiadora, foi necessário considerar como requisito principal na tomada de decisão quanto aos componentes e projetos a serem ofertados por parte dos colegiados de curso, a questão da familiaridade e conhecimento dos professores sobre as ferramentas digitais, além de levar em conta as regulamentações nacionais (MP, Decretos, Pareceres) que amparam o ensino remoto no período da pandemia.

Assim, foram realizadas as ofertas, dentro das possibilidades existentes que, como se sabe, não contemplaram a todos(as). No entanto, é importante ressaltar que este calendário tem um caráter suplementar, não corresponde ao 1º semestre de 2020, que foi suspenso e retornará quando as atividades presenciais forem viáveis. Como suplementar, ele visa propiciar as vivências e qualificar práticas que serão necessárias para o retorno ao semestre regular, em que se antevê a permanência de várias atividades por meio do uso de tecnologias de educação a distância.

Desta forma, ao mesmo tempo em que se compreende as manifestações de insatisfação por parte dos estudantes que não obtiveram vaga em atividades de ensino neste calendário, é necessário destacar que esta foi a alternativa possível neste cenário de instabilidades, mas também de aprendizagens. Ressalta-se, também, que se está fazendo um grande esforço coletivo de construção de propostas, planejamento e adequações para que o próximo calendário atenda de forma plena ao princípio da inclusão, mantendo a qualidade acadêmica que tem destacado a UFPel no cenário da educação superior pública.

Publicado em 26/06/2020, em Manchete.