Início do conteúdo

Orçamento Participativo – Grupos Temáticos apresentam prioridades

Mais uma etapa está cumprida no processo do Orçamento Participativo da UFPel para 2020. Na tarde desta segunda-feira (4), os quatro grupos temáticos formados no começo de outubro entregaram o resultado de seus trabalhos. Nele, constam prioridades de cada área, que a partir de agora vão ser analisadas pelo Conselho de Planejamento (Coplan), que escolherá uma de cada tema, quatro itens que depois serão levados à consulta da comunidade, com o fim da divisão dos recursos, que chegam a R$ 1,2 milhão.

Os grupos apresentaram seus resultados em reunião com o reitor Pedro Hallal, no Gabinete da Reitoria. O dirigente agradeceu a dedicação de todos e ressaltou a diversidade da composição dos grupos, formados por professores, técnicos e estudantes, de diversas áreas, e frisou o fato de todos terem trabalhado com importantes necessidades da comunidade.

A ideia é que cada área de trabalho tenha garantido pelo menos dez por cento dos recursos, ou seja, R$ 120 mil, independente do percentual que será obtido na votação na comunidade. Os recursos destinados para cada uma das quatro ações corresponderão à parcela ganha na escolha da comunidade.

Os grupos temáticos, que encerraram suas atividades oficiais após a entrega dos documentos, foram o Acadêmico, o de Infraestrutura, o de Assistência Estudantil e o Institucional.

O Institucional priorizou uma política de identidade e identificação dos prédios da Universidade; uma política de promoção da saúde física e mental; e comunicação interna entre unidades, intraunidades e Reitoria.

Cinco prioridades foram elencadas pelo grupo da Assistência Estudantil, que foram qualificação ou criação de espaços de convivência, permanência ou estudo; ampliação e qualificação dos profissionais que atendem o Nupadi; ampliação do Programa de Apoio Pedagógico aos alunos não contemplados com bolsa permanência; ampliação do auxílio-moradia; e ampliação do auxílio pré-escola.

O GT de Infraestrutura listou como prioridades a qualificação dos espaços físicos; a economia de recursos e sustentabilidade; e o desenvolvimento de processos, projetos e ações de Tecnologia da Informação.

A atualização da regulamentação acadêmica na Universidade foi a primeira prioridade citada pelo GT Acadêmico. As outras três foram uma política de compartilhamento de equipamentos e espaços para ensino e pesquisa; a melhoria das condições estruturais para a curricularização da extensão; e a política de atenção a alunos de ampla concorrência.

Saiba mais sobre o trabalhos dos GTs do Coplan e suas composições em http://ccs2.ufpel.edu.br/wp/2019/10/14/conselheiros-sao-empossados-e-gts-do-coplan-comecam-trabalhos/ .