Início do conteúdo

Biotério Central da UFPel participa da primeira reunião da REBIOTÉRIO em Brasília

Na mesa de reuniões, o vice-reitor e as duas gestoras do Biotério da UFPelEm 2019, o Biotério Central da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) passou a integrar a Rede Nacional de Biotérios de Produção de Animais para Fins Científicos, Didáticos e Tecnológicos (REBIOTÉRIO), entidade ligada ao Conselho Nacional para Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). No dia 24 de maio, a chefia do Biotério Central da UFPel, representada pelas professoras Ethel Antunes Wilhelm e Márcia Foster Mesko, e o vice-reitor Luís Centeno do Amaral participaram da primeira reunião com os representantes dos biotérios associados à REBIOTERIO, no Edifício Sede do CNPq em Brasília – DF.

Nessa reunião foram apresentados os objetivos da REBIOTERIO, bem como um breve histórico de apoio para estruturação dos biotérios em nível nacional. Além disso, todos os biotérios associados à Rede realizaram uma sucinta apresentação reportando a atual estrutura. Após, foi iniciada uma discussão sobre as ações para a consolidação da Rede, primando pelo bem-estar animal e visando aprimorar a produção de animais com qualidade para atender a demanda nacional.

Grupo da RebiotérioDe acordo com a chefe do setor, Ethel Antunes Wilhelm, a associação do Biotério Central à Rede é uma importante conquista para a UFPel, uma vez que dos 123 biotérios brasileiros que solicitaram o cadastramento na Rede, apenas 26 foram aprovados. Destes 26, apenas três são do estado do Rio Grande do Sul (Biotério Central da UFPel, Centro de Modelos Biológicos Experimentais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC/RS e Centro de Reprodução e Experimentação de Animais de Laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS).

A professora ressalta que a associação subsidiará a elaboração de políticas públicas que preconizam a otimização da produção animal, bem como a aplicação de princípios éticos em consonância com os princípios de redução e refinamento na utilização de animais em experimentação científica.

De acordo com a gestora, a participação na reunião possibilitou a apresentação das condições atuais do Biotério Central da UFPel e sua capacidade de produção. Também foi possível evidenciar a necessidade de um aporte financeiro para a manutenção e melhorias no setor. “O Biotério Central é uma estrutura de extrema relevância para o desenvolvimento científico e tecnológico da UFPel, onde alunos de graduação e pós-graduação desenvolvem suas pesquisas, as quais têm impactado significativamente na sociedade e recebido destaque em nível nacional e internacional”, ressalta a professora Márcia Foster Mesko, chefe adjunta do Biotério Central e atual coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção da UFPel.

De acordo com Márcia, a gestão do Biotério Central tem buscado aprimorar cada vez mais o padrão de qualidade da produção de animais para melhor atender aos pesquisadores. Ela destaca ainda que a intenção da atual gestão é de promover o Biotério Central da UFPel a patamares de referência nacional em termos de qualidade de produção e bem-estar animal. As gestoras do Biotério Central ressaltam que contam com o apoio institucional para alcançar este lugar de destaque, mas que ainda será necessário muito trabalho e dedicação de toda a equipe, embora enfatizem que as primeiras conquistas já tenham sido alcançadas.

Publicado em 11/06/2019, em Destaque, Notícias. Marcado com as tags Biotério, Biotério Central.