Início do conteúdo

Núcleo da Canção recebe o violonista Chico Saraiva

Nesta sexta-feira (26), o Núcleo da Canção da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) recebe o violonista e compositor Chico Saraiva. Na ocasião, ele lança seu livro “Violão-Canção” (violao-cancao.com), no qual entrevista grandes nomes da música brasileira para sua pesquisa, revelando um pouco de seus processos criativos em canção popular e violão solo. Em Pelotas, haverá workshop às 17h e concerto às 19h, ambos no Auditório Milton de Lemos do Conservatório de Música da UFPel.

O concerto é aberto ao público, sem necessidade de inscrição prévia. Haverá também projeção de minidocumentário e sessão de autógrafos do livro “Violão-Canção”, da SESC-SP Edições.

A atividade fornece certificado/atestado aos inscritos até 24 de abril. Para tanto, os estudantes interessados devem enviar nome completo e número de matrícula para o e-mail nucleodacancaoufpel@gmail.com com o assunto “Inscrição Chico Saraiva”. A atividade é também aberta à comunidade – é necessário enviar mensagem com nome completo, RG e CPF para o mesmo e-mail com o mesmo assunto. As vagas são limitadas.

No dia 27, haverá evento em Bagé, no Palacete Pedro Osório, às 19h, em parceria com o Curso de Licenciatura em Música da Unipampa.

Sobre o livro
Ao lançar Violão-Canção: diálogos entre o violão solo e a canção popular no Brasil, o músico Chico Saraiva traz a público sua pesquisa sobre o violão como instrumento solista ligado à tradição escrita, e como acompanhador do canto na tradição musical brasileira. O desenvolvimento da obra se baseia em sete entrevistas suas com mestres da nossa música: João Bosco, Paulo César Pinheiro e Luiz Tatit, no campo da canção popular; Paulo Bellinati, Sérgio Assad e Marco Pereira, representando o violão solo de concerto; Guinga e Elomar como membros das duas tradições.

Ao longo da conversa, Saraiva e os entrevistados tocam canções, que são indicadas no livro e podem ser assistidas em vídeo no site www.violao-cancao.com.

O texto, organizado por temas inspirados na ideia de uma montagem cinematográfica, trata de processo criativo, intercâmbios entre letra, melodia e harmonia, aspectos da execução, relação entre instrumentos e violão popular e erudito.

Orientador da dissertação que deu origem ao livro, o maestro e professor livre-docente da USP, Gil Jardim assina o texto de quarta-capa. Nas palavras dele, “Eis a característica mais fascinante desse livro: trazer, em discurso acessível e envolvente, intimidades do ato da criação musical na voz de vários craques da música brasileira”.

Sobre o autor
Chico Saraiva nasceu no Rio de Janeiro em 1973, foi criado em Santa Catarina e vive em São Paulo desde 1995. Estreou em 1999, no álbum instrumental Água (MCD), gravado com Eduardo Ribeiro e José Nigro, no qual apresenta suas primeiras composições. Em 2003, foi vencedor do 6º Prêmio Visa de MPB (edição compositores), gravando as canções concorrentes no CD Trégua (Biscoito Fino) como parte da premiação. Em 2007, lançou seu terceiro disco, intitulado Saraivada (Biscoito Fino), com uma leitura autoral da música das culturas tradicionais brasileiras, interpretando o universo que pesquisa desde 1998 como integrante do grupo A Barca. Sobrepalavras (Borandá), seu quarto álbum autoral, veio a público em 2009, numa parceria com Verônica Ferriani e Mauro Aguiar. Em 2012, lançou Tejo-Tietê (Delira), ao lado de Susana Travassos; em 2016, o Duo Saraiva-Murray (formado com Daniel Murray) apresentou o álbum instrumental Galope (Borandá) – os dois últimos discos foram produzidos por Paulo Bellinati. Assim, ao longo dos anos, Chico Saraiva vem desenvolvendo seu trabalho no lapidar contínuo de sua música, que se alimenta do trânsito de elementos entre o violão e a canção. Mais informações em www.chicosaraiva.com.

Publicado em 22/04/2019, em Destaque, Notícias. Marcado com as tags Conservatório de Música, Música.