Início do conteúdo

SIIEPE encerra com shows no Mercado Público

Foi com atrações musicais em um momento cultural e de confraternização que a 3ª Semana Integrada de Inovação, Ensino, Pesquisa e Extensão (SIIEPE) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) despediu-se. O evento foi realizado no Largo do Mercado Público, na noite de sexta-feira (24), reunindo não apenas os participantes da Semana Integrada mas a comunidade de Pelotas.

A programação começou com a Orquestra da UFPel, composta por acadêmicos e extensionistas voluntários da Universidade. A Orquestra, como programa de extensão, oferece gratuitamente orientação na prática de orquestra a instrumentistas da comunidade, além de promover concertos públicos e gratuitos em Pelotas e região.

Na sequência, a atração foi a Escola de Música do Rotary Piratini. Criada em 2015 com o objetivo de contribuir no desenvolvimento socioeducacional de crianças e adolescentes, a Escola é formada por 52 alunos de seis a 14 anos e há cerca de quatro meses firmou parceria com a UFPel. Toda semana bolsistas da Universidade acompanham os jovens em introdução ao violão, flauta, teclado e outros instrumentos musicais. “É um projeto muito bonito. Foi amor à primeira vista. Essa aproximação com a Universidade é fundamental e queremos que esse projeto seja ainda maior”, contou o diretor da Escola de Música, Luiz Fernando Farias.

Na sequência, o público pôde acompanhar Marquinho Brasil e Egbert Parada, que apresentaram o show “Alma Brasileira”. Em seguida, subiu ao palco a banda Los Ilícitos, que apresentou rock acústico em covers e músicas autorais.

As apresentações prosseguiram com o Collab Trap Session, com a cantora Julie Schiavon, o DJ Try-Angle e um grupo de dança.

Encerrando a noite, a atração foi a Associação de Hip-Hop de Pelotas, com o rapper Mano Rick.

Prestigiando
Formado em História pela UFPel, João Bilhalva, 52, passava pelo local quando resolveu parar para assistir aos shows. Na garupa, a filha Cora, de cinco anos, uma admiradora da música. Os dois acompanharam a apresentação da Escola do Rotary, cujo envolvimento com a UFPel foi alvo de elogios. “É bonito ver a Universidade se aproximar das pessoas, das comunidades. A Universidade precisa estar presente. Às vezes, o caminho é mais importante que o fim”, observou.

Participante do Congresso de Iniciação Científica (CIC) como apresentador e do Congresso de Extensão e Cultura (CEC) como ouvinte – dois dos eventos que integravam a SIIEPE -, o acadêmico Daniel Alves dos Santos, 20 anos, veio prestigiar as atrações do encerramento. O estudante do quarto semestre de Ciências Musicais, natural de Guarujá (São Paulo), vestia a camiseta que estampava o nome da Universidade – neste ano, o destaque foi para a valorização da Instituição em vez do evento em si. E esse foi um dos aspectos aprovados pelo aluno. “É muito mais interessante assim”, disse.

Integração
Presente no evento, o vice-reitor, Luís Amaral, salientou que a SIIEPE é um momento de expor o que a Universidade produz e, ainda, de congraçamento e troca de oportunidades. Amaral aproveitou a ocasião para tecer agradecimentos à equipe organizadora, assim como o reitor, Pedro Curi Hallal, que destacou que a Semana também se caracteriza como uma ação de resistência contra os constantes ataques do Governo Federal à universidade pública. “Tivemos eventos simultâneos mas relacionados e um encerramento cheio de arte, para mostrar que a Universidade não acontece só na sala de aula, mas na rua. O campus da UFPel é a cidade de Pelotas”, disse.

A 3ª SIIEPE teve 3.496 trabalhos aprovados em todos os cinco eventos, somando um público total de 4,1 mil pessoas. Foram realizados o 1º Congresso de Inovação Tecnológica (CIT), 3º Congresso de Ensino de Graduação (CEG), 4º Congresso de Extensão e Cultura (CEC), 19º Encontro de Pós-Graduação (ENPOS) e 26º Congresso de Iniciação Científica (CIC).

Publicado em 27/11/2017, em Destaque, Notícias.