NOTÍCIAS

Uma moradia mais digna aos estudantes

A UFPel estará oferecendo, já neste segundo semestre de 2017, uma moradia digna para seus estudantes. A Universidade assinou, por meio do vice-reitor Luís Amaral, no exercício da Reitoria, o contrato para o aluguel do prédio que abrigará a nova Casa do Estudante da Instituição (última foto abaixo). A construção poderá receber até 300 estudantes e contará com infraestrutura completa para servir de moradia estudantil.

O novo prédio, localizado na rua Três de Maio esquina com Barão de Santa Tecla, com dois blocos de cinco andares, ampliará em três vezes a quantidade de estudantes abrigados pela atual Casa: ocorrerá um salto de 90 para 300 vagas. Contando com sala, cozinha, um ou dois quartos e banheiro, os apartamentos terão três ou seis habitantes, de acordo com a sua configuração espacial. Além disso, as áreas comuns contarão com refeitório coletivo, área de lazer, espaço para estudos com mini-biblioteca e sala de jogos. A edificação, recém construída, nunca foi habitada e tem todas as licenças expedidas, com destaque aos PPCIs e à adequação à acessibilidade.

O prédio foi projetado especificamente para atividade habitacional, com 5.206 m² de área construída e 60 apartamentos. A proposta contempla o imóvel mobiliado e equipado para fins de moradia, nas áreas privativas e de uso coletivo e apresenta viabilidade econômica, uma vez que unifica três contratos de locação que correspondem a R$ 60 mil mensais, somadas aos três respectivos postos de vigilância e portaria que correspondem atualmente a cerca de R$ 30 mil mensais cada.

“A Gestão Central da UFPel considera este contrato absolutamente adequado, considerando as qualidades das habitações, a localização do imóvel, a proposta de ser mobiliado e equipado, além se tratar de um processo de substituição de contratos vigentes, o que garante a viabilidade financeira e economicidade à gestão orçamentária da Universidade”, diz o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento, Otávio Peres.

A previsão de mudança é para após o início do segundo semestre letivo de 2017, pois ainda serão necessárias algumas adaptações no local, a serem realizadas pela equipe de infraestrutura da Universidade.

Leia abaixo Nota da Gestão Central da Universidade sobre a nova Casa.

Finalmente uma moradia digna para os estudantes da UFPel

As políticas de ampliação do acesso ao ensino superior implantadas nas últimas décadas modificaram drasticamente a realidade das Universidades Federais brasileiras. A diversidade deixou de ser exceção e virou rotina, e finalmente pessoas dos diversos grupos sociais e étnicos passaram a frequentar as Universidades públicas, antes praticamente restritas a uma parcela ínfima da população brasileira.

No entanto, a ampliação do acesso mostrou-se insuficiente para garantir a permanência dos estudantes em situação de vulnerabilidade social. Para garantir a permanência e combater a retenção e a evasão, as Universidades Federais precisaram intensificar suas políticas internas de assistência estudantil. Além disso, o Estado brasileiro criou o Programa Nacional de Assistência Estudantil, que repassa recursos financeiros para as Universidades Federais especificamente para garantir a permanência dos estudantes em situação de vulnerabilidade.

Contudo, a base de qualquer política de assistência estudantil é centrada na moradia. É impensável que estudantes vulneráveis consigam permanecer na Universidade e realizar sua formação sem condições dignas de moradia. Frases marcantes do movimento estudantil lembram que “moradia não se adia” e que “moradia não é favor, é direito”.

Em 2013, num esforço capitaneado pela então pró-reitora de assuntos estudantis Rosane Brandão, mas efetivamente levado a cabo de forma coletiva, incluindo os moradores da casa do estudante da UFPel, foi desenvolvido um projeto de moradia estudantil para a Universidade. O projeto consiste de um condomínio composto por vários prédios, a ser construído em terreno próprio da UFPel. Infelizmente, os sucessivos contingenciamentos de recursos do Governo Federal impedem que o projeto saia do papel, pelo menos no futuro próximo.

Desta forma, a solução de curto e médio prazo é a locação de imóvel. Atualmente, cerca de 90 estudantes da UFPel moram num prédio com problemas graves de infraestrutura. No ano de 2016, vídeo produzido por um acadêmico mostrando a realidade da casa do estudante viralizou na Internet.

Felizmente, essa situação calamitosa está prestes a acabar definitivamente. A gestão da UFPel, liderada pelos pró-reitores de assuntos estudantis Mario Azevedo Júnior e de planejamento Otávio Peres, acaba de anunciar o aluguel de um prédio completamente novo, com capacidade para até 300 moradores. As moradias que hoje se resumem a um quarto e banheiro agora passam a ser em apartamentos, de um ou dois dormitórios, todos com sala de estar e jantar, cozinha, sacada e banheiro próprio. Além disso, uma ampla área de lazer permitirá que os estudantes, além de terem um teto, tenham qualidade de vida.

Registre-se também o compromisso da gestão da UFPel em seguir lutando por condições dignas de moradia para os estudantes em situação de vulnerabilidade social. Moradia não se adia.”

Publicado em 10/08/2017, em Manchete.
Publicada em 14/12/2017 | 1 acessos
Publicada em 16/02/2017 | 1 acessos
Publicada em 20/11/2017 | 1 acessos
RÁDIO FEDERAL FM

Clique para abrir em uma nova janela.