NOTÍCIAS

Docentes debatem as dimensões formativas de ensino, pesquisa e extensão

A docência é uma atividade complexa e precisa ser aprendida. Esse entendimento, analisado e refletido sob as óticas do ensino, da pesquisa e da extensão, foi a tônica da mesa-redonda promovida pela Pró-Reitoria de Ensino (PRE) nesta quarta-feira (12) na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Dentro da proposta de debate a respeito da Pedagogia Universitária, os docentes presentes ainda trocaram ideias sobre a atividade profissional com propósito e a felicidade naquilo que se faz.

O assunto foi conduzido pela pró-reitora de Ensino, Maria de Fátima Cóssio, pelo pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Flávio Demarco, e pela pró-reitora de Extensão e Cultura, Francisca Michelon. A mediação foi da diretora do Centro de Artes, Úrsula Rosa da Silva.

Na abertura, a titular da PRE falou a respeito do aspecto que diferencia uma universidade de outras instituições de ensino superior: a característica de ser uma instituição de ensino, pesquisa e extensão. De acordo com ela, é a condição de desenvolver um tipo de pensamento diferenciado e uma formação que se compromete com um sujeito que pretende se inserir na sociedade de forma a fazer a diferença. “Implica em formar um pensamento complexo e torná-lo significativo para o sujeito, oportunizando que ele tenha condições de reconstruir o conhecimento historicamente produzido”, observou. Ensinar, nessa perspectiva, pressupõe complexidade.

Durante o debate, surgiram reflexões sobre a desestabilização como incentivo para a busca pelo conhecimento, a necessidade de o processo de investigação científica ser uma descoberta prazerosa, a busca pela felicidade na realização do trabalho – mesmo que com momentos nem sempre tão plenos -, e a produção integral do conhecimento – sem as clássicas divisões entre ensino, pesquisa e extensão -, que precisa ser construída e exercitada aos poucos dentro das instituições de ensino.

Momento de troca
As atividades que têm sido propostas periodicamente pelos Núcleos de Formação de Professores (NUFOR) e de Articulação com Coordenadores de Curso (NUAC) da Coordenação de Pedagogia Universitária (CPU) têm se constituído como espaços para que os docentes possam trocar ideias, aspirações e angústias relacionadas às suas atividades. Além de debaterem temas fundamentais, os professores têm se apropriado das ações como momentos de compartilhamento. Conforme o coordenador da CPU, Eduardo das Neves Filho, a intenção é construir espaços de socialização dos saberes, ligados ao debate da Pedagogia Universitária. E, para isso, conclamou os presentes a compartilhar a experiência em suas Unidades e trazer mais colegas para participar desse processo.

A responsável pelo NUFOR, Larissa Patron, destacou que a proposta de diálogo tem aos poucos atraído mais docentes interessados no troca de saberes, no encontro com o outro e na perspectiva de melhorar a Universidade.

Próximas ações
Nesta quinta-feira (13), haverá o 2º Encontro Formativo de Coordenadores de Cursos de Graduação. A convidada é a professora Maria Beatriz Luce, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A atividade dá continuidade ao ciclo de debates sobre a atualização do Projeto Pedagógico Institucional da UFPel. O encontro está marcado para as 14h, no Auditório do Campus II (Rua Almirante Barroso, 1.202).

A próxima mesa-redonda irá debater a formação nas Licenciaturas, Bacharelados e Tecnólogos. O encontro será no dia 19 de agosto, às 8h30min, no Auditório da Reitoria.

E já está agendada também a primeira edição do Café Pedagógico: dia 29 de setembro.

Publicado em 13/07/2017, em Destaque, Notícias.
RÁDIO FEDERAL FM

Clique para abrir em uma nova janela.