Início do conteúdo

Artigo de nutricionista do HE é publicado na Revista Brasileira de Cancerologia

tássia Tássia Portantiolo, nutricionista do Serviço de Oncologia do Hospital Escola (HE) da Universidade Federal de Pelotas, publicou na última edição da Revista Brasileira de Cancerologia o artigo intitulado “Consumo de Vitaminas Antioxidantes por Mulheres com Câncer de Mama Submetidas ao Tratamento Quimioterápico na Cidade de Pelotas-RS”.

O artigo foi produzido através do banco de dados de um estudo maior, desenvolvido pela nutricionista Idrejane do Vale, sob a orientação da professora Renata Abib e co-autoria da nutricionista Rafaela Bergmann, durante o período em que Tássia realizou a Residência Integrada Multiprofissional em Saúde (RIMS) Oncológica do HE. A pesquisa foi realizada com 23 pacientes portadoras de neoplasia mamária, em quimioterapia, no período de maio a dezembro de 2012.

O objetivo foi avaliar o consumo de vitaminas antioxidantes através de um questionário de frequência alimentar e verificar a necessidade de adequar a ingestão. Foi observado que o consumo de vitamina C ultrapassou a recomendação. Houve um consumo diminuído de vitamina E por todas as pacientes, e um número expressivo de mulheres com baixo consumo de vitamina A, dois importantes antioxidantes da dieta.

Dessa forma, foi evidenciada a necessidade de incentivar o consumo de alimentos fontes desses nutrientes, de forma individualizada, com o intuito de auxiliar no tratamento e melhorar o estado nutricional dessas pacientes. “Sabe-se que a doença por si só é associada à quimioterapia promovem um estresse oxidativo importante no organismo e a ingestão adequada de vitaminas com poder antioxidante contribui para a redução dos efeitos colaterais relacionados ao tratamento. É um assunto de grande relevância clínica, e existem poucos dados na literatura que demonstrem esse tipo de análise, principalmente na população brasileira. O nosso estudo foi o primeiro desenvolvido na região. É muito gratificante.”, disse Tássia.

Ela acredita que mais pesquisas com ênfase no consumo alimentar devam ser realizadas, visto que o estado nutricional dos pacientes interfere diretamente na resposta ao tratamento.

Publicado em 02/02/2015, em Notícias.