Início do conteúdo

Dois anos de gestão: Ciência, Tecnologia e Inovação ganham novo impulso

No domingo, dia 11 de janeiro, a Universidade Federal de Pelotas completa dois anos com a gestão do professor Mauro Del Pino à sua frente. São tempos de transformação e mudança, com ampliação nos investimentos em infraestrutura e ações democráticas, que inserem a comunidade acadêmica na decisão dos rumos da instituição. Tudo isso para uma maior excelência naquela que é a missão da universidade: promover o ensino, a pesquisa e a extensão para a transformação da sociedade. Para mostrar as conquistas realizadas, o Portal UFPel apresenta, nestes dias, alguns dados por área temática.

DSC_00201O avanço nas iniciativas de geração de conhecimento científico e tecnológico também foi registrado nos dois últimos anos na UFPel. Entre as principais conquistas, está a criação da Incubadora de Base Tecnológica, voltada para empresas que queiram dar o pontapé inicial em seus negócios. Até o momento, estão em processo de incubação de start ups das áreas de software livre, venda de material genético, controle de pragas, entre outras. O programa de incubação ocorrerá em dois locais: nas cidades de Pelotas e Capão do Leão.

A inovação e o empreendedorismo transformaram-se também em temática para sala de aula, especialmente para os programas de pós-graduação. Ofertada em 2013 e 2014, a disciplina de Empreendedorismo será novamente aberta no primeiro semestre de 2015. É realizada em conjunto pela Coordenação de Inovação Tecnológica da PRPPG e pelo PPG em Biotecnologia. Também realizado nos últimos dois anos e com previsão de nova edição, o Concurso de Ideias Inovadoras busca ideias criativas que podem trazer inovação para os processos produtivos e científicos, tanto no ambiente interno da universidade quanto fora.

Na área de regularização de patentes, a CIT promoveu o pagamento de diversas patentes, que estavam atrasados. Quando a nova gestão assumiu a área, eram 30 patentes depositadas, hoje são mais de 80.

O apoio à pesquisa veio para todos: houve a criação de uma nova política de bolsas de iniciação científica diminuindo a concentração de bolsas entre os pesquisadores, com editais específicos para alunos em vulnerabilidade social, para pesquisadores que não conquistaram bolsas em outros editais, para jovens pesquisadores e para servidores em doutoramento. A iniciação à pesquisa também foi fomentada por meio de bolsas distribuídas a estudantes de graduação, com recursos próprios da universidade, sendo distribuídas 188 bolsas em 2013 e 219 em 2014.

Os eventos científicos da Universidade ganharam impulso com a sua unificação. Desde 2013, o Congresso de Iniciação Científica, o Encontro de Pós-Graduação e o Concurso de Ideias Inovadoras passaram a ter realização simultânea, com a suspensão das demais atividades acadêmicas. Em 2014, somou-se a eles o Congresso de Extensão e Cultura. A meta é que em 2015 também se juntem a eles a Mostra de Ensino, gerando uma semana vitrine para a geração de conhecimento da universidade, em suas diversas áreas: ensino, pesquisa, extensão e inovação. O CIC e o Enpos chegaram às suas maiores edições, com 1567 trabalhos apresentados no CIC e mais de 800 trabalhos apresentados no Enpos e, de forma inédita, com apresentações orais para todos os trabalhos inscritos.

Por meio de recursos próprios da Universidade, foram oferecidos editais para participação de professores dos PPGs em eventos, com 192 financiamentos, assim como para servidores, com 45 apoios. Os servidores também foram beneficiados com a isenção de taxas de inscrição nos processos seletivos de aluno especial nos programas de pós-graduação da UFPel.

Novas áreas de pesquisa vão se descortinando na UFPel com a aprovação na CAPES da criação cinco novos cursos de pós-graduação stricto sensu: Doutorado em Educação Física, Doutorado em Filosofia, Doutorado em Bioquímica e Bioprospecção, Mestrado em Desenvolvimento Territorial e Sistemas Agroindustriais e Mestrado em Biologia Animal. Outros três cursos estão em avaliação no órgão, com previsão de resposta até março.

Houve recorde na captação de recursos em diversos editais de fomento para infraestrutura, de forma a qualificar espaços e laboratórios voltados para a pesquisa. Somente no edital FINEP/CT-Infra de 2013, foram conquistados R$ 6,8 milhões. Nos editais Pró-Equipamentos da CAPES foram obtidos R$ 1,5 milhão em 2013 e R$ 1,6 milhão em 2014, dirigidos à diversos programas.

E todos esses processos seriam praticamente em vão se não fossem voltados para a sociedade que cerca a universidade. Por isso, a UFPel também voltou seu olhar para a participação em processos de inovação na comunidade que a acolhe, como o projeto Pelotas – Parque Tecnológico, a presidência do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia e a construção do Arranjo Produtivo Local Complexo Industrial da Saúde. Também é destaque o início do processo de criação de uma Unidade Mista de Pesquisa e Inovação (UMIP) entre a UFPel e a Embrapa Clima Temperado.

Publicado em 26/01/2015, em Notícias. Marcado com as tags Dois Anos de Gestão.